Notícias

4 de Outubro: Dia do Animal

O sono e os amigos de quatro patas

Há muitos factores que podem desassossegar o sono – a luz ambiente, a temperatura e humidade do quarto, o ruído (em que se inclui o ressonar do(a) companheiro(a)), o movimento, as chamadas dos filhos ou a sua presença na cama.


E os amigos de quatro patas – cães ou gatos - não perturbam o sono dos donos? 

Determinadas espécies de animais como o cão e o gato, têm sido desde longa data companheiros do homem e têm vindo a integrar cada vez mais o agregado familiar. Há algumas décadas, ocupavam uma posição mais marginal sendo muitas vezes utilizados em tarefas como a guarda da casa ou pastoreio. Com a mudança dos tempos e dos estilos de vida, o seu papel foi-se modificando com uma aproximação gradual ao seio familiar. Começaram a ficar mais recolhidos dentro das nossas casas, assumindo sobretudo o papel de animal de companhia. E esta coabitação com o dono veio permitir-lhe por vezes partilhar o espaço de repouso e até… a cama.

A proximidade física do animal de estimação, pode trazer ao dono segurança, conforto e prazer. Muitas vezes ausentes de casa durante várias horas, os donos procuram, no final do dia, recompensar-se a si próprios e ao seu amigo aumentando a “convivência”. O amigo conquista o estatuto de elemento da família e essa proximidade crescente permite-lhe passar a dormir no quarto do dono, um dia saltar para a cama, ficar ali a dormir e desse dia em diante todos os dias….

Estudos recentes (2015), nos Estados Unidos da América, verificaram que mais de 60% dos americanos tem pelo menos um animal de estimação (cão ou gato, mais frequentemente) em casa, e que destes, mais de 70% partilha a cama ocasionalmente e 54% frequentemente.   


Mas de que modo é que o animal de companhia prejudica o sono do dono?

Nos poucos trabalhos efectuados nesta área, foi referida a perturbação do sono (aumento de tempo de adormecimento, acordares repetidos, cansaço ao acordar), por 20 a 53% dos donos que partilham o espaço de repouso com os seus animais de estimação (embora, num dos estudos, 40% considere que há benefício para o sono).  

Num estudo recente (2017) foi efectuada uma análise objectiva do sono a 40 pares de dono -  cão com actigrafia (equipamento que permite medir a actividade do utilizador). Foi encontrada uma eficiência adequada do sono do dono quando o cão dorme no quarto, valor que baixa de forma significativa se o cão partilhar a cama. Assim, os autores concluíram que a presença de um único cão no quarto não perturba significativamente o sono do dono, mas o mesmo não se poderá dizer se o cão dormir na cama.

Se desejar desfrutar da presença do seu amigo de quatro patas no quarto, aconselhamos a que não o habitue a dormir na sua cama.... Ambos poderão continuar a usufruir de conforto e companhia bem como de uma noite mais repousada!

Sabemos de todo o bem-estar que os animais de estimação proporcionam e por isso estes resultados vêm tranquilizar as muitas famílias que com eles partilham o seu espaço.
Mas tomando em consideração que o sono é uma função de importância vital e que a sua perturbação pode levar a efeitos adversos na saúde física e mental, esperamos que estudos mais alargados venham clarificar a relação entre o sono e a presença do animal de companhia.
 

Maria Helena Estêvão, APS (Associação Portuguesa de Sono)

Raquel Matos, PsiAnimal (Associação Portuguesa de Terapia do Comportamento e Bem-Estar Animal)